Entre nós


A luz cai em pura penumbra sua. O corpo posto desliza na suave brisa Avisa a nua e suas curvas.

A última peça se apressa. Em festa a boca testa O procurar o tocar dos lábios.

Em desmaios o rosto deposto Senti a face macia acariciar As costas postas a esperar

O abraçar, encostar a provocar.

As mãos a alizar, desejar, delirar, O tocar nas pernas insinuantes,

Antes atrevidas a esconder entre meias A beleza verdadeira.

No pescoço o perfume gostoso

Descendo pelos seios. Aroma que flutua pelo dorso Bondoso da nudez do corpo.


Posts Em Destaque
Posts em breve
Fique ligado...
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga